Taxa de financiamento de imóvel: as melhores disponíveis no mercado

Taxa de financiamento de imóvel: as melhores disponíveis no mercado

Realizar o sonho da casa própria é um dos objetivos de vida mais comuns na sociedade. Poder se libertar dos aluguéis e investir o dinheiro em algo que aumente o patrimônio e a segurança da família é uma das prioridades. Por isso, na hora de analisar as opções do mercado, é preciso ficar atento à taxa de financiamento de imóveis para garantir melhores condições e preço justo.

É importante que, antes de decidir pelo financiamento ideal para sua situação, você analise não só o tamanho das parcelas, mas também se as taxas e valores são justos e condizentes com a atual situação econômica do país.

Para ajudar você nessa decisão, preparamos esse post com as principais informações que você precisa antes de assinar os papéis. Quer saber mais? Confira o post e prepare sua mudança!

Ano é promissor para quem quer comprar

O número de imóveis disponíveis aumentou consideravelmente com o freio na economia dos últimos anos. Por isso, quem tem dinheiro para investir agora, pode respirar aliviado.

Como o poder de compra diminui com a crise financeira que atingiu o mundo todo, hoje existem propriedades que ficaram paradas e que podem ser negociadas com até 40% de desconto. De um lado existem os proprietários querendo vender, e de outro o consumidor com um poder de compra maior.

Se você dispõe de algum valor para entrada do imóvel e quer fazer um investimento seguro, cogite a ideia de comprar imóveis nesse ano. O investimento no mercado imobiliário é um dos mais seguros que existem, além de ter uma valorização praticamente garantida.

Para convencer você ainda mais, é importante lembrar que a taxa Selic diminuiu para 7%. Essa diminuição aumenta a confiança da população na caderneta de poupança, estimulando a economia e aumentando o interesse no investimento imobiliário. 

Como as taxas influenciam no valor do imóvel

Em resumo, as taxas de financiamento de imóveis nada mais são do que o valor que você paga para usar o dinheiro de outra pessoa para a compra da sua nova casa.

Financiar um imóvel fica mais caro para os compradores, obviamente, já que você vai pagar, além do valor da propriedade, todo o valor que foi embutido com as taxas de juros.

Por isso, antes de procurar por um imóvel nos classificados e portais da internet, é importante fazer uma pesquisa cautelosa a respeito das taxas disponíveis e das condições de financiamento. É importante lembrar que, quanto mais longo o período, mais caro você vai pagar.

Como pagar menos

Uma dica para você fazer um bom negócio imobiliário é avaliar o momento econômico. Como agora existem muitas ofertas, o poder de barganha ganha mais força e uma conversa com o proprietário pode fazer milagres no valor total do seu imóvel.

Converse a respeito das suas condições e tenha um valor à disposição para oferecer como entrada. Quanto mais você puder investir no início, mais fácil fica negociar o preço e menos você vai precisar financiar. O resultado disso são parcelas e juros menores.

Outra dica é financiar um imóvel ainda na planta. Como as construtoras precisam de dinheiro para continuar a construção das unidades, as opções de pagamento são facilitadas e o preço pode diminuir consideravelmente.

Além disso, imóveis ainda em processo de construção podem ser personalizados e ganhar acabamentos opcionais. Converse a respeito e veja se esse imóvel atende às suas necessidades, dando uma atenção à data para entrega das chaves.

Quais as principais taxas praticadas no mercado

Com a redução das taxas de juros que aconteceu nos últimos tempos, muitos bancos anunciaram novas condições e estão em concorrência acirrada com a Caixa Econômica Federal, antes vista como principal alternativa na hora de procurar financiamento imobiliário.

É importante dizer que esse não é o único fator que deve ser avaliado, já que você tem que comparar o Custo Efetivo Total (CET), que mostra tudo o que você deverá pagar pelo financiamento.

Além disso, os bancos incluem outras taxas obrigatórias, como Morte ou Invalidez Permanente (MIP) e Danos Físicos ao Imóvel (DIF).

Por isso, para garantir a melhor escolha, abra o leque de opções e veja o que as principais instituições estão fazendo para atrair compradores de imóveis.

Santander

O Banco Santander aplica uma taxa de juros de 9,49% ao ano. É possível fazer uma simulação online, onde o interessado insere o valor do imóvel e consegue visualizar como ficarão suas parcelas ao longo do ano.

A instituição realiza análise de crédito e oferece um tempo para que a carta de crédito seja utilizada. É nessa hora que seu poder de negociação deve aflorar para você garantir um preço atrativo.

Caixa Econômica Federal

A Caixa é o banco mais procurado para financiamento imobiliário, já que costuma aplicar as menores taxas do mercado. Entretanto, atualmente, esse índice é de 10,48% ao ano.

Existem alguns requisitos que devem ser seguidos para conseguir financiamento pela Caixa Econômica. O tempo não pode exceder 35 anos e o máximo de valor financiado é de 80% do preço do imóvel. Para tirar a dúvida, faça uma simulação no site da instituição e veja se os valores valem a pena para sua situação.

O interessado também deve comprovar renda e mostrar que as parcelas não vão ultrapassar 30% dos recebimentos mensais.

Itaú

A taxa de juros cobrada pelo Banco Itaú no financiamento de imóveis é de 10,9% ao ano. A instituição não disponibiliza simulações online. O interessado, portanto, deve preencher um cadastro no site e comparecer a uma das agências do banco.

Bradesco

O Banco Bradesco aplica uma taxa de 10,5% ao ano e contempla três categorias diferentes de imóveis, que podem passar do custo de R$ 5 milhões.

As parcelas são atrativas, já que podem ficar a partir de R$ 200. O banco financia até 80% do valor do imóvel e o financiamento não pode exceder 30 anos, dependendo da categoria.

Banco do Brasil

A taxa de 11,48% ao ano do Banco do Brasil é uma das mais altas do mercado. Entretanto, a instituição oferece algumas vantagens, como prazo para pagamento em até 35 anos.

Minha Casa Minha Vida

O programa habitacional do Governo Federal, Minha Casa Minha Vida, teve as regras alteradas no último ano, contemplando famílias com rendimento mensal de até R$ 9 mil. Ainda que você não faça parte da faixa de rendimento que tem direito ao subsídio do governo, é possível que você consiga taxas melhores por meio do programa.

É importante lembrar que as instituições bancárias ainda cobram outras taxas, como tarifa de avaliação do imóvel, serviços administrativos, Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), entre outras. Confira tudo isso antes de fechar negócio e garanta uma compra tranquila.

Comprar um imóvel é uma das maiores realizações pessoais pela qual uma pessoa pode passar, por isso, aja com cautela e faça desse sonho um momento tranquilo e sem surpresas desagradáveis.

Sente-se mais seguro a respeito da taxa de financiamento de imóveis? Quer ler mais sobre o assunto? Então confira nosso post sobre financiamento imobiliário e tire todas as suas dúvidas!

Sem comentários

Cancelar