Mercado imobiliário em SP: veja agora o panorama completo

Mercado imobiliário em SP: veja agora o panorama completo

Encontrar um apartamento para alugar, comprar ou investir não é uma tarefa fácil. Nos últimos anos, com a recessão da economia brasileira, o mercado imobiliário tornou-se instável e as ofertas das incorporadoras também diminuíram. Entretanto, o ano de 2019 trouxe uma recuperação econômica do setor, que voltou a crescer e a trazer oportunidades para aqueles que procuram um apartamento novo.

O post de hoje vai falar sobre o mercado imobiliário em SP. O objetivo é mostrar um panorama do mercado e os melhores bairros que prometem uma boa valorização nos próximos anos. Acompanhe de perto todas as informações e decida de vez a adquirir o seu imóvel!

Como está o mercado imobiliário em SP?

Em 2016 e 2017, pela retração econômica do país, as incorporadoras lançaram poucos empreendimentos e muitos consumidores não conseguiram manter suas reservas financeiras para investimentos. Em 2019, esse cenário mudou e a economia mostrou sinais de recuperação. Isso fez com que as ofertas de empreendimentos aumentassem, bem como a confiança dos consumidores em investir.

No primeiro trimestre de 2019, a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) comunicou que a compra e construção de imóveis aumentou 30% em relação ao mesmo período do ano passado. Somente em São Paulo, 29,9 mil novas unidades residenciais foram vendidas em 2018, representando um aumento de 27,7% em relação a 2017, segundo o Sindicato da habitação. Acrescenta-se a isso o fato de que a construção civil é considerada um termômetro da economia, indicando um bom desenvolvimento.

Com isso, prevê-se que o mercado imobiliário em SP terá um crescimento representativo pelos próximos 3 ou 4 anos, o que traz maior segurança para quem quer comprar um imóvel nos melhores bairros de São Paulo. Segundo especialistas, o crescimento deverá ser contínuo e moderado, sem previsões para um novo boom imobiliário.

A queda na taxa Selic, de 6,5% para 6% ao ano, também favorece as menores taxas de financiamento imobiliário praticada pelos bancos. Esta já era limitada a 12% ao ano, mas, muitas vezes, era menor devido à concorrência entre as agências.

Quais são os bairros ou regiões mais propensas ao crescimento?

Os apartamentos maiores, de 100 a 200 metros quadrados, localizados em bairros nobres de São Paulo, são aqueles que se tornarão mais valorizados. Por conta da aprovação no Plano Diretor em 2014, a aprovação de empreendimentos com esse modelo de apartamento se tornou mais difícil. Isso porque houve uma redução no coeficiente de aproveitamento dos terrenos, fazendo com que as incorporadoras invistam em projetos com unidades menores.

Dessa forma, os apartamentos maiores se tornarão mais escassos e, portanto, representam uma boa oportunidade de investimentos. Nesse contexto, alguns bairros se destacam como os mais propensos a crescimento. Entre eles, podemos citar Pinheiros e Vila Mariana.

De acordo com o plano, o trecho localizado atrás da linha lilás do metrô é uma Zona de Estruturação Urbana, que promove o crescimento da região. Bairros como Moema, Vereador José Diniz e Adolfo Pinheiro serão alavancados com o lançamento de diversos empreendimentos imobiliários.

Um dos aspectos mais valorizados por quem deseja comprar um imóvel é a mobilidade urbana. Devido ao aumento da urbanização e do número de veículos circulando na cidade, os locais mais procurados são aqueles que oferecem boa infraestrutura comercial e de serviços, facilitando o deslocamento e diminuindo o tempo no trânsito. Da mesma maneira, os locais com fácil acesso a linhas de ônibus e metrô são privilegiados.

Por que morar nessas regiões de SP?

O mercado imobiliário de SP está em crescimento e oferece diferentes modelos de empreendimentos. Mesmo existindo maior oferta, cada edificação tem um estilo diferente de apartamento, contribuindo para que não haja um esgotamento do mercado. Existem, por exemplo, torres com apartamentos de 40 a 60 metros quadrados e empreendimentos de studios. Contudo, os novos edifícios têm poucas unidades com mais de 100 metros quadrados misturados com os imóveis menores.

Por esse motivo, quem deseja adquirir apartamentos maiores, em torres com um único modelo de apartamento, precisa investir o quanto antes. Isso acontece devido ao artigo 174 da Lei de Uso, Ocupação e Parcelamento do Solo de São Paulo, que permitia mais opções imobiliárias para as regiões servidas de transporte público. Esse artigo foi aprovado em 2016 e foi temporário, sendo excluído em março de 2019. Assim, os projetos se tornaram mais restritivos nessas regiões a partir desse ano.

A legislação não só permitia torres com apartamentos até 200 m2, como também a possibilidade de mais de uma vaga de garagem por apartamento, o que não poderá mais acontecer devido ao vencimento do artigo supracitado. Por esse motivo, a escassez de imóveis desse modelo fará com que sejam mais procurados e mais valorizados.

O perfil do cliente também diz muito sobre a região procurada. Bairros nobres, como Moema, Pinheiros e Itaim Bibi, atraem aqueles que procuram boa estrutura de comércio, serviços e transporte público. Entretanto, aqueles que valorizam morar próximo ao trabalho, muitas vezes, precisam abrir mão desses benefícios.

Qual a importância de acompanhar as informações do mercado imobiliário?

Se você deseja sair do aluguel, comprar um apartamento novo para morar ou mesmo para investir, é importante ficar por dentro do mercado imobiliário em SP. Assim, você terá menos dúvidas na hora de adquirir seu imóvel e poderá fazer uma escolha consciente, facilitando a probabilidade de um bom negócio.

Os economistas afirmam que 2018 foi o último do ciclo de 5 anos de retração econômica, fazendo de 2019 o primeiro ano de recuperação. Nesse contexto, este é considerado o melhor momento para realizar investimentos imobiliários, visto que os preços ainda estão baixos.

No mercado imobiliário, dois fatores influenciam diretamente no preço de venda dos imóveis: o valor dos terrenos e os custos da construção. Devido ao crescimento econômico, as incorporadoras voltaram a procurar mais terrenos enquanto eles estão cada vez mais raros em uma cidade adensada como São Paulo. Por isso, eles estão ficando mais caros.

Ademais, com o desenvolvimento do setor da construção civil, a procura por materiais de construção e o número de pessoas empregadas aumentou, fazendo com que os insumos e a mão de obra se tornem mais caros. Com isso, os preços dos imóveis também vão aumentar.

Entre os modelos mais procurados de apartamentos, estão aqueles entre 100 e 200 metros quadrados, como falamos no item anterior, e os prédios com infraestrutura completa de lazer. Isso porque a tendência nas grandes cidades é a busca por qualidade de vida, principalmente pelos casais com filhos.

Como uma imobiliária de confiança pode ajudar nesse caso?

Contar com uma imobiliária especializada pode ajudar muito no processo de compra de um novo imóvel. A Fernandez Mera tem mais de 35 anos de história e conta com uma equipe de corretores, superintendentes e gestores capacitados para atender aos clientes.

No mercado imobiliário, é importante entender os desejos e os principais aspectos valorizados pelos clientes. Por isso, estamos preparados para entender as suas necessidades e demanda. Desse modo, você poderá analisar apartamentos selecionados e otimizar o seu tempo.

Gostou do conteúdo de hoje? Agora que você já sabe sobre as tendências do mercado imobiliário em SP, entre em contato com a gente e encontre o seu imóvel ideal!

Sem comentários

Cancelar