Materiais para piso: conheça os principais e saiba como usá-los

Materiais para piso: conheça os principais e saiba como usá-los

Escolher o piso para o imóvel não é tão simples como parece. Devemos pensar o quanto ele contribuirá para a decoração da casa, bem como na sua aplicabilidade. Para começar, existe uma grande diversidade de materiais para piso no mercado, com suas variedades de cores e tamanhos — o que acaba nos deixando com algumas dúvidas.

Cada um deles tem suas devidas indicações e o consumidor deve ficar muito atento a isso. Existem pisos para áreas internas e externas, ou seja, aqueles que resistem às intempéries e aqueles que são geralmente mais frágeis e têm sua indicação para áreas internas da casa.

O consumidor deve avaliar, antes de mais nada, a relação custo-benefício que cada tipo de piso pode representar, como o preço do metro quadrado somado ao gasto com a aplicação do material. 

Uma boa dica para otimizar esse processo é escolher no máximo dois tipos de pisos para a área interna da residência. Isso diminuirá o desperdício de material devido aos ajustes que são feitos durante a colocação, bem como facilitará o processo de aplicação.

Sendo assim selecionamos para você os pisos mais comuns e para quais ambientes estão indicados! Acompanhe!

Porcelanato

O porcelanato está se tornando cada vez mais popular, visto que conta com vantagens, como uma boa durabilidade e fácil instalação. Além disso, dispõe de uma grande variedade de acabamentos, como brilhante e liso, fosco e irregular, com esmalte ou sem, ou seja, a gosto do freguês.

Esse tipo de piso não tem problema com o uso de água. Sua limpeza é fácil, bastando um pano úmido para mantê-lo bonito e com aspecto de novo.

O porcelanato pode ser utilizado para revestir ambientes internos e externos, no entanto, para áreas externas, recomenda-se o piso com antiderrapante.

É muito utilizado em revestimentos de salas e quartos, devido à beleza e a praticidade na hora da limpeza.

Cerâmica

A cerâmica está entre os pisos mais em conta no mercado. Podem ser encontrados em variadas texturas e tamanhos, como esmaltados, foscos, lisos, marmorizados, entre outros. Podem ser utilizados em ambientes internos e externos, e tal como o porcelanato, para áreas externas é necessário que sejam antiderrapantes, para evitar acidentes.

Sua utilização pode ser em qualquer ambiente da casa, seja interno ou externo.

Vinílico

Esse piso conta com uma instalação simples e rápida, no entanto, a superfície na qual será aplicado deve estar bem limpa e uniforme. Além disso, o piso vinílico possui as vantagens de não manchar, ser antialérgico e contar com uma boa durabilidade.

Ele possui formatos e cores variados, não é indicado para ambientes externos ou que tenham muito contato com a umidade e a água, como o banheiro e a cozinha.

Para limpá-lo, basta um pano úmido. Uma boa dica é escolher o material com poucas ranhuras, visto que isso facilitará muito na hora da limpeza. Indicado para quarto de crianças.

Laminados

Esse tipo tem como característica ser muito fino, tendo 8 mm de espessura. Ele conta com uma boa vantagem sobre os demais, que é o fato de poder ser aplicado sobre pisos já existentes, o que facilita, e muito, a instalação, além de torná-la bem mais rápida.

Quando comparado ao piso de madeira, seu valor é bem mais acessível, no entanto, não é muito resistente, principalmente no contato com a água. O consumidor deve tomar cuidado com o piso laminado, visto que o contato direto com a água ou com o sol pode deformá-lo.

Esse tipo de piso contribui muito com a decoração do imóvel e é muito indicado para ambientes internos e secos, como quartos. Sua limpeza é bem simples, bastando apenas a utilização de um pano úmido.

Pastilhas

As pastilhas são opções bastante versáteis, já que podem ser encontradas em variados acabamentos, como metalizado, vidro, fosco, entre outros. São materiais resistentes, com uma boa durabilidade e deixam poucos resíduos após a obra. No entanto, o ponto negativo é quanto ao preço, uma vez que possuem um custo alto.

O consumidor deve ficar atento ao material, pois quando feito de vidrotil, ele pode cortar os pés. Esse piso é indicado para banheiros, cozinhas e outras áreas úmidas.

Cimento queimado

Esse piso dá um toque rústico e, ao mesmo tempo, sofisticado ao espaço e conta com cores variadas. O ideal é que seja aplicado em áreas internas, pois tem como uma de suas características ser muito liso e, por isso, escorregadio.

Para sua instalação é necessário contar com uma mão de obra especializada, para que o piso fique devidamente nivelado e bem liso. Para isso, é importante que quem instale tenha uma certa experiência — uma vez que se não for bem aplicado pode ocorrer fissuras que comprometerão a durabilidade do revestimento.

Uma aplicação de resina com base acrílica por cima da massa ainda úmida aumenta a durabilidade do cimento queimado. Essa medida vai impermeabilizar e garantir uma resistência maior ao revestimento. 

Pode ser utilizado em sala, quartos e até mesmo em áreas molhadas, desde que recebam um tratamento especial antiderrapante.

Taco de madeira

Apesar de não ser utilizado com tanta frequência nos imóveis, como há algum tempo, o taco de madeira é uma boa opção para quem aprecia esse tipo de revestimento, que dá um ar vintage à decoração. Ele pode ser encontrado em variadas cores de madeira e em diversos desenhos.

Na verdade, o taco de madeira é um piso que não sai de moda, ou seja, é atemporal. Torna o ambiente agradável e acolhedor, podendo ser utilizado em quartos e salas. Sua instalação é demorada — visto que é bastante trabalhosa —, e a manutenção cara, mas a limpeza é simples, que muitas vezes deve contar com produtos para a conservação da madeira.

Outros materiais para piso

Existem outros tipos de piso não tão comuns, como os que elencamos abaixo. Confira quais são eles:

  • granilite: é um piso liso, que dá uma aparência rústica ao ambiente. Trata-se de uma massa de cimento que contém pedaços de pedras de diversos tamanhos. Pode ser utilizado em ambientes internos e externos;
  • ladrilho hidráulico: são fabricados artesanalmente com desenhos personalizados. Devido a essas características seu custo é maior. A mão de obra deve ser bem escolhida, pois necessita de muito cuidado na aplicação;
  • granito: trata-se de um mineral que torna o piso de qualquer ambiente muito requintado. É muito resistente e pode ser utilizado em ambientes internos e externos. Um ponto negativo é seu alto custo;
  • mármore: é uma rocha amplamente conhecida e que traz sofisticação aos espaços. No entanto, é permeável e sua melhor indicação e para ambientes internos. Seu ponto negativo é o alto custo.

Por fim, fique atento às características dos materiais para piso que você escolher, visto que elas definem seu desempenho, tais como: durabilidade, estanqueidade à água, resistência à abrasão, resistência ao escorregamento, etc.

Você gostou deste post? Então o que acha de assinar nossa newsletter e receber na sua caixa de entrada artigos tão relevantes quanto este? Estamos constantemente produzindo conteúdos interessantes para nossos leitores!

Sem comentários

Cancelar