Como funciona um seguro residencial? Ele vale a pena?

Como funciona um seguro residencial? Ele vale a pena?

Você já pensou em contratar um seguro residencial? Não se fala tanto sobre esse tipo de seguro quanto o de carros, ou de vida, por exemplo. Apesar disso, é um serviço importante, que cobre vários imprevistos residenciais.

Por isso, hoje viemos falar sobre diversas questões acerca do seguro. Vamos especificar o que ele cobre ou não, casos de sinistros e os cuidados que você deve ter antes de decidir. Assim, você poderá fazer a melhor escolha para você e sua família. Continue lendo para saber tudo desse assunto!

O que é o seguro residencial?

No Brasil, ele cobre apenas 15% das residências. Porém, com o aumento anual dessa taxa, resolvemos falar um pouco mais sobre ele. Para quem possui um imóvel, o seguro residencial cobre o seu patrimônio. Sendo assim, ele poderá oferecer garantias não só à estrutura física.

Em alguns casos, é possível solicitar adições na cobertura para mobiliário, rede elétrica, objetos e eletrodomésticos. É claro que, quanto maior a cobertura, maior o valor do serviço. Observe também que, se você decidir se mudar, a seguradora deverá ser informada. Será feita uma nova vistoria, bem como o custo da apólice pode sofrer alterações.

Com todas essas opções, é preciso ficar atento ao contrato da apólice do seguro. Dessa forma, você poderá entender o que está ou não incluso no serviço, os limites da cobertura, bem como os direitos e deveres do consumidor e da seguradora.

O que o serviço cobre?

O seguro residencial sempre cobre o imóvel em caso de acidentes, como incêndios, raios e explosões. Caso você tenha interesse em adicionar garantias, a empresa fará um calculo proporcional do adendo. Uma adição muito comum é a cobertura contra roubos. Além disso, em cidades frias, que ventam muito, é possível solicitar cobertura para vendavais.

A empresa fará o cálculo do seu serviço de acordo com o valor dos seus bens. Dessa maneira, ela fará um inventário básico, com o objetivo de estimar o custo total do imóvel, com tudo que o integra. Fora isso, geralmente, o valor da garantia é equivalente à quantia paga à empresa. Por exemplo, se o seu seguro for de R$300mil, a empresa cobrirá, no máximo, esse valor, mesmo que o dano seja superior.

O serviço pode incluir também garantias contra enchentes, caso a localização do imóvel ofereça esse risco. Outra adição recorrente é a cobertura de responsabilidade civil. Ele acontece quando algo que você faz atinge um terceiro. Por exemplo, se reformar a sua casa, e causar dano ao apartamento do vizinho ou se algo cair na rua e prejudicar um pedestre.

Caso seja do seu interesse, também é possível solicitar assistência 24 horas. Dependendo do plano escolhido, ele pode até vir como um bônus. Nessa situação, a empresa oferece seguro para manutenção da casa, como chaveiros, eletricistas, encanadores, etc.

O que acontece em casos de sinistro?

Os sinistros são ocorrências que causam prejuízo financeiro ou material para o consumidor e, consequentemente para a seguradora. Assim, podem ser incêndios, vendavais, enchentes, roubos, chuva de granizo, qualquer acidente ou imprevisto.

Quando o sinistro é previsto no contrato da seguradora, o processo envolve a avaliação dos danos por meio de uma vistoria, registros ou até relatórios. Logo, a empresa fará uma análise do prejuízo e o consumidor será indenizado. Por sua vez, o ressarcimento poderá ser feito em forma de reposição, reparo dos danos, ou em dinheiro.

Caso algum desses imprevistos aconteça com você, é recomendado que avise imediatamente a seguradora. Com isso, ela poderá instruí-lo a gerar provas do ocorrido, antes que você realize modificações.

Por exemplo, se houver avarias no telhado, e você precisar trocá-lo, provavelmente será preciso tirar fotos que comprovem o dano. Depois disso, você poderá fazer as alterações e consertos necessários, e aguardar a indenização. Em média, ela demora 30 dias para ser realizada.

Quais cuidados você deve ter antes de contratar?

O primeiro cuidado é ler com muita atenção o contrato. Pesquise a empresa e veja se ela possui reclamações na internet. Assim, você terá maior confiança no serviço prestado.

O IDEC (Instituto brasileiro de Defesa ao Consumidor) também aconselha que o comprador seja honesto quando do questionário de avaliação de riscos. Isso porque, as empresas usam as respostas dadas para calcular o valor da apólice. Logo, se as respostas estiverem incorretas, a indenização da seguradora poderá ser inferior ao prejuízo ou até mesmo negada.

O contrato inclui uma cláusula sobre riscos excluídos, sobre os quais a seguradora não oferece garantias. Entre eles você encontrará roubos sem vestígios, prejuízos devido a danos e erros de construção, ou problemas preexistentes.

Por esse motivo, ler o documento é tão importante. Use esse momento para tirar possíveis dúvidas, ou solicitar alterações. Dessa forma, você evitará surpresas desagradáveis no futuro. Por exemplo, é comum algumas seguradoras não oferecerem indenização em casos de danos à área externa, como jardins e piscinas. Então, procure entender tudo o que está incluído.

Outro cuidado importante é a respeito das franquias. Elas são obrigatoriamente abordadas no contrato, e possuem um percentual mínimo em relação ao prejuízo. Entretanto, as franquias são aplicadas somente aos aditivos da apólice, sendo que o seguro básico deve ser inteiramente coberto até o valor combinado.

Então, contratar um seguro residencial vale a pena?

Os seguros residenciais têm um custo bem inferior ao que se imagina. Enquanto o seguro de carros custa, em média, 5% do preço do veículo, o residencial é em torno de 0,05% a 0,5% do valor do imóvel. Sendo assim, para uma residência de R$300mil, a apólice básica (para incêndio, raios e explosões) ficaria entre R$150 e R$1500 por ano.

Apesar de ter um valor razoável, você já sabe que não deve se deixar levar apenas pelo preço. Pesquise bem as empresas, leia o contrato com atenção, tire suas dúvidas, veja as reclamações dos usuários e avalie os benefícios e riscos.

Além disso, você também pode ver se a empresa costuma oferecer bonificações para o comprador. Em algumas apólices a seguradora garante a assistência técnica 24 horas. Em outras, você poderá participar de sorteios mensais.

E então? O que você achou desse texto? Com ele você pode conhecer um pouco mais sobre os seguros residenciais. Agora, você já pode fazer uma escolha consciente e encontrar a melhor empresa para te atender. Comente no post deixando suas dúvidas e sugestões!

Sem comentários

Cancelar