Como funciona a compra de imóvel na planta? Saiba mais sobre isso!

Como funciona a compra de imóvel na planta? Saiba mais sobre isso!

Entender como funciona compra de imóvel na planta faz toda a diferença na hora de adquirir sua futura residência. A desinformação em torno desse assunto pode até mesmo fazer com que alguns compradores sejam lesados por construtoras e incorporadoras que se aproveitam da falta de clareza dos consumidores para cobrar taxas indevidas.

Neste post você aprenderá um pouco mais sobre como isso funciona para se livrar de quaisquer problemas e fazer a melhor escolha na compra do seu imóvel. Continue lendo e entenda de uma vez por todas como isso funciona. Confira!

1. Como funciona para quem compra à vista?

Comprar à vista pode valer a pena pelo fato de que o imóvel tende a valorizar até 30% após construído e o consumidor terá em mãos algo que pagou mais barato do que o valor real quando pronto.

Porém, nem tudo são rosas e é imprescindível que se conheça bem a construtora ou incorporadora com a qual se está lidando. Averiguar o histórico de entregas da empresa bem como conversar com quem já vive em um de seus empreendimentos, podem ser excelentes formas de se precaver de desilusões futuras.

Não são raros os casos em que o comprador recebe um imóvel diferente do prometido. Por isso mesmo é necessário também ficar atento aos acordos firmados, ler cada linha do contrato e guardar toda propaganda usada na divulgação da construção. Tudo isso servirá como prova caso você a enfrentar qualquer problema legal.

O melhor mesmo é pesquisar bem antes de tomar qualquer decisão e fechar negócio com a incorporadora ou construtora que não lhe trará dores de cabeça. Pense nisso.

2. Qual a diferença para quem realiza a compra de imóvel na planta financiado?

Todos os avisos dados acima sobre a compra de imóvel na planta à vista também se aplicam àqueles financiados. Porém, aqui, há ainda outras questões extras que você deve estar atento para realizar uma compra segura e tranquila.

A primeira delas é que financiar a compra de um imóvel na planta exige duas negociações diferentes, uma para pagar a construção e outra para financiá-lo depois de pronto no momento da entrega das chaves.

Essa situação gera uma condição bastante peculiar já que depois que estiver pronto o imóvel poderá valer mais do que o valor previsto e você terá que adequar as suas contas para levar o financiamento até o final.

Por isso, uma boa organização financeira é essencial para que você possa juntar dinheiro enquanto financia a obra e assim seja capaz de completar o valor acrescido no momento da entrega das chaves.

Programas de financiamento como o Minha Casa, Minha Vida permitem o uso de no máximo 30% da renda familiar para o pagamento das parcelas, quando o valor do imóvel aumenta você poderá se comprometer se não tiver organizado previamente suas finanças. Continue lendo e entenda melhor como essas taxas, juros e pagamentos funcionam em um financiamento.

3. Quais as principais taxas, juros e pagamentos para quem financia?

As principais taxas, juros e pagamentos têm a ver justamente com as formas mais usuais de financiamento disponíveis no Brasil hoje. Elas são basicamente o Sistema Financeiro de Habitação (SFH), Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) e o programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida.

Sistema Financeiro de Habitação (SFH)

No SFH, o limite máximo de avaliação do imóvel na planta varia de estado para estado e de acordo com a periodicidade também, sendo necessário ficar atento às publicações sobre financiamento habitacional do governo federal.

Os parâmetros hoje para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal não podem ir além do valor de R$ 750mil. Todavia, para os outros estados isso cai para R$650 mil. Há ainda que se considerar o fato de que o limite máximo para financiamento não pode passar de 80% do valor total e nem do preço de R$ 585 mil do imóvel.

Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI)

No SFI, as condições são menos rígidas e se pode financiar até 90% do valor total do imóvel na planta e não existe teto para o preço a ser parcelado. Porém, uma questão que vale para ambos os sistemas é o prazo de 35 anos para quitar o financiamento.

Programa Minha Casa, Minha Vida

O programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida visa propiciar o sonho da casa própria à população de baixa e média renda por meio de financiamentos bancários que realizam uma avaliação criteriosa do imóvel e das condições do comprador no momento de fechar o contrato.

Como dissemos, existem incorporadoras e construtoras que não honram seus compromissos ou mesmo atuam fora da lei e o programa procura averiguar cada detalhe do imóvel antes de liberar o financiamento.

Em linhas gerais, as condições do Programa Minha Casa, Minha Vida estão relacionadas à aprovação de crédito, avaliação do imóvel e um limite de parcelamento que não ultrapasse 30% da renda familiar do consumidor. Esta última regra serve como forma de precaver uma organização financeira mínima por parte do comprador.

4. Quais armadilhas devo evitar na compra de imóvel na planta financiado?

Ao longo deste post, chamamos a atenção algumas vezes para a falta de ética de algumas incorporadoras e construtoras bem como a falta de informação por parte dos compradores que abrem espaço para que hajam abusos e cobranças indevidas.

Neste tópico, vamos destrinchar isso um pouco melhor para você a partir de 7 pontos que costumam ser bastante problemáticos. Abaixo elencamos quais são, veja:

  1. atraso da obra: a lei permite atraso de até 180 dias, passado isso o consumidor tem o direito de ser reavido financeiramente por multa;

  2. falsas promessas: há quem prometa até carro novo no momento de vender um imóvel, guarde toda a propaganda recebida como prova;

  3. corretagem: aproveite que algumas incorporadoras contam com corretores na negociação e se beneficie do auxílio deste profissional;

  4. taxa de interveniência: escolha a instituição financeira que quiser, a construtora não pode taxá-lo por negociar em outra;

  5. taxa SATI: a taxa de assessoria técnico-imobiliária não é obrigatória, nem isenta, já que é oferecida pela própria construtora torna-se tendenciosa;

  6. cessão de direitos: você não precisa da autorização de ninguém se quiser vender o imóvel a terceiros, a construtora não pode te multar por isso;

  7. cuidados no financiamento: vamos lembrar mais uma vez que o valor do imóvel pode subir depois de pronto e você deve se preparar para isso.

Como pôde ver ao longo do post, realizar a compra de um imóvel na planta, independentemente se à vista ou financiado é algo que exige conhecimento e cautela. Aproveite também para ler nosso artigo sobre como funciona o investimento em imóveis e suas vantagens e tomar decisões ainda melhores. 

Sem comentários

Cancelar