8 dicas importantes para a organização das finanças do casal

8 dicas importantes para a organização das finanças do casal

Um relacionamento traz muitas preocupações para a vida a dois. Uma das maiores dificuldades é com a distribuição de gastos e as finanças do casal. Por isso, saber gerenciar a renda é essencial para manter uma relação saudável.

Se você precisa aprender a organizar sua vida financeira, este texto vai ser bastante útil! Hoje, trouxemos 8 dicas para lhe ajudar a controlar suas despesas, estabelecer suas metas e alcançá-las. Vamos lá?

1. Converse sobre dinheiro

A dica fundamental é manter uma conversa honesta sobre este assunto. Dialogue com seu parceiro e seja transparente sobre seus objetivos. As pessoas pensam de maneiras diferentes, então a conversa vai ajudar a encontrar um equilíbrio.

Infidelidade financeira é um grande problema nos relacionamentos, por isso é importante contar um para o outro sobre gastos, metas e preocupações. Assim, os dois terão responsabilidades e cada um cede um pouquinho para encontrar uma forma de gerir o dinheiro que agrade a ambos.

Outro ponto que deve ser levado em conta é a formalização da relação. Caso não sejam casados, falem sobre assinar uma união estável.

Além de morarem juntos, ter uma vida financeira conjunta também gera responsabilidades jurídicas. Logo, essa dica é importante para evitar conflitos futuros, com divisão de bens, patrimônio etc.

2. Estabeleça uma mesada do casal

Uma forma de gerenciar as finanças do casal é estabelecer uma mesada. Assim, depois de pagar as contas mensais, o restante é dividido para os gastos individuais.

Os casais precisam ter um projeto de vida juntos. Entretanto, cada cônjuge deve ter a sua individualidade.

Sendo assim, respeite a particularidade do outro, permitindo que ele possa gastar uma quantia mensal da maneira que desejar. Gastos do dia a dia ou lazer têm o seu lugar e um orçamento reservado para isso é necessário.

3. Tenha uma reserva para emergências

Outra dica essencial é manter uma reserva para emergências. Assim como é indicado que cada pessoa reserve uma porcentagem da sua renda mensal para essas situações, no relacionamento não é diferente.

Por mais que o casal se planeje, imprevistos sempre acontecem. Você pode ter um gasto inesperado com a manutenção da casa, com a saúde ou com seu carro.

Nesses casos, é melhor prevenir do que remediar. Nada pior do que se endividar, não é mesmo?

4. Separe uma quantia mensal para investimentos

Da mesma maneira que você reservará uma parcela da renda para emergências, é recomendável separar uma porcentagem para investimentos em curto e/ou longo prazo.

Dependendo dos objetivos do casal, esses investimentos podem servir para juntar dinheiro para uma viagem anual, mudar para um apartamento melhor ou para terem uma aposentadoria.

Decidam juntos qual o destino final desse dinheiro e tenham controle para nunca deixarem de alimentar o investimento.

5. Planeje os objetivos em conjunto

Durante as conversas do casal, estabeleçam os objetivos que desejam atingir juntos. Qual a meta profissional e pessoal que têm para vocês? Como o dinheiro pode ajudar a alcançá-las?

As conversas podem ser planejadas, como reuniões. Listar os pontos principais que precisam ser discutidos é uma forma de lidar com essa situação. Com isso, ficará claro a importância de cada item para as finanças do casal. Assim que tiverem o seu projeto de vida traçado, conseguirão gerir suas rendas e se planejarem para chegarem juntos aonde desejam.

Além disso, se um não estiver ciente dos objetivos do outro, pode acontecer um gasto desnecessário. Isso pode trazer problemas para vocês a longo prazo, fora as discussões que poderiam ser evitadas. 

6. Crie uma conta conjunta

Cada pessoa faz a gestão financeira de uma forma diferente. Isso é o resultado de uma série de memórias que temos, da criação dos pais, do que aprendemos na escola e do padrão de vida que mantemos.

Quando conhecemos uma pessoa e passamos a dividir as despesas, isso pode se transformar num problema. Por esse motivo, uma forma de evitar algumas discussões é criar uma conta conjunta.

O casal pode decidir por uma porcentagem proporcional à renda de cada um e depositar esse valor mensalmente numa conta conjunta. Dessa maneira, a conta será sempre alimentada para suprir as despesas principais da casa.

O restante poderá ser dividido entre a poupança para custos emergenciais, investimentos, gastos do dia a dia e lazer. Vocês podem ainda colocar algumas contas em débito automático, o que ajudará a poupar tempo e evitar que a mesma conta seja paga duas vezes.

7. Estabeleça gastos individuais e compartilhados

Na vida a dois existem gastos compartilhados e individuais. Aluguel, condomínio, impostos, contas de água, luz, internet, são algumas das despesas que podem ser divididas.

Fora isso, vocês ainda terão gastos esporádicos, que também são divididos. Por exemplo, podem precisar de uma reforma na casa ou de um orçamento para decoração e eletrodomésticos. A conta conjunta pode auxiliar a quitar esses custos.

Por outro lado, essa não é a melhor alternativa para todo mundo. Vocês podem chegar à conclusão de que preferem dividir as responsabilidades compartilhadas e o restante será destinado ao consumo individual. É por isso que a conversa franca é tão importante: vocês decidirão juntos a melhor forma de gerir as suas finanças.

8. Mantenha um controle das finanças do casal

Por fim, uma das dicas mais importantes é planejar e controlar as finanças. Elabore uma planilha onde vocês anotem os gastos mensais, compartilhados e pessoais. Controlem também o rendimento da poupança e outros investimentos.

Saber quanto vocês ganham juntos e o orçamento despendido com as contas compartilhadas, dará uma segurança maior para o casal. Com o tempo vocês saberão prever, de forma bastante aproximada, todos os custos que têm juntos. Com isso, ficará bem mais simples se planejar para o futuro e economizar para atingir seus objetivos.

Hoje, trouxemos 8 dicas essenciais para o gerenciamento das finanças do casal. Foram elas: conversar sobre dinheiro, estabelecer uma mesada do casal, ter uma reserva para investimentos, planejar seus objetivos, criar uma conta conjunta, separar gastos compartilhados e individuais e ter um controle dos gastos e rendimentos.

São algumas recomendações que podem ser feitas em todo relacionamento e ajudam a melhorar, de maneira considerável, a forma de lidar com o dinheiro. Se você gostou deste texto, deixe agora seu comentário com suas dúvidas e sugestões! 

Sem comentários

Cancelar